ART 167 CINTO SEG. ÔNIBUS

SEDE

Departamento de Estradas de
Rodagem do Estado de São Paulo

Ilmo: Sr. Superintendente do
Departamento de Estradas de
Rodagem do Estado de São Paulo

( )RECURSO
ADMINISTRATIVO ( X )
DEFESA PRÉVIA

1) CONDUTOR:

NOME:
_________________________

Endereço: Rua
________________________, nº
_______ Fone: (0xx19)
__________

Bairro: Cidade:

2) PROPRIETÁRIO DO VEÍCULO
( ou EXPEDIDOR DA CARGA, no
caso de infração ao Art. 46 do RTPP):

NOME:
_________________________

Endereço: Rua
________________________, nº
_______ Fone: (0xx19)
__________

Bairro: Cidade:

Placa do veículo: BBB – 0000
Município de Licenciamento:
PELOTAS/RS

3) AUTO DE INFRAÇÃO (AIIP):

Número do AIIP: 1 L 000000 Data:
08/08/2____ Hora: 17:00 Local:
SP 330 KM 151 M 650

Código de Processamento da infração:
5195

Descrição da Infração: Art.167 Do
CTB – PASSAGEIRO SEM CINTO
DE SEGURANÇA.

4) O requerente, acima qualificado
como
PROPRIETÁRIO/CONDUTOR
abaixo assinado, foi autuado pela
infração de trânsito acima especificada
e em sua defesa pelo cancelamento do
auto de infração, pelo seguinte:

Que diante dessa acusação, NÃO
pode concordar com a autuação
aplicada no meu veículo tendo em vista
o motivo abaixo:

Em minha defesa apelo pela
NULIDADE DA MULTA POR
IRREGULARIDADE, posto que em
seu enquadramento consta
MANIFESTA INCONSISTÊNCIA,
tendo em vista que foi lavrado sem
amparo legal..

Conforme identificado e devidamente
comprovado através do CRLV em
anexo, meu veículo é um
MICROÔNUBUS marca ASIA HI
TOPIC , ANO DE FABRICAÇÃO
1995, e conforme especifica a
RESOLUÇÃO DO CONTRAN Nº
14 DE 6 DE FEVEREIRO DE 1998,
não se exigirá cinto de segurança para
os passageiros, no presente caso ( Art.
2º , Inc. IV letra a):

RESOLUÇÃO DO CONTRAN Nº
14 DE 6 DE FEVEREIRO DE 1998

Art. 2º – Dos equipamentos
relacionados no artigo anterior, não se
exigirá:

I…………………….

II……………………

III………………….

IV – cinto de segurança:

a) para os passageiros, nos ônibus e
microônibus produzido até 1º de
janeiro de 1999; ( grifo nosso)

5. Finalmente, considerando a
irregularidade e a ilegalidade da
cobrança da multa, visto que a
ADMINISTRAÇÃO, segundo a
Carta Magna de 1988, deve orientar
seus atos pela legalidade e moralidade
e os atos que contiverem erros de
responsabilidade da Administração
devem ser corrigidos até “ex-officio”;
vem requerer de V Sª que
encaminhe ao órgão julgador, para
apreciação, solicitando o
CANCELAMENTO e
ARQUIVAMENTO do AIT, por ser
de lídima justiça.

_________, de _______de
________

_____________________________________

Além disso, verifique

POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL AUTUAÇÃO IRREGULAR

POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL 6ª SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL – SÃO PAULO Ao Sr. Superintendente da Polícia Rodoviária …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *